Parceiros e Afiliados
RPGs Parceiros
Afiliados em Geral

ANTHONY D. SHREAVE - SÉTIMO ANO

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

ANTHONY D. SHREAVE - SÉTIMO ANO

Mensagem por Anthony D. Shreave em Seg 31 Ago 2015, 16:16

ANTHONY D. SHREAVE
SÉTIMO ANO
História do Personagem
Anthony nasceu na cidade de Londres, em uma época aonde o verão começava a se tornar extremo. Seus pais, detentores da maior empresa da região, faziam de tudo para que sua chegada fosse extremamente acolhedora e tranquila. Por isso em meados do nono mês da gestação de Margot, os Shreave fizeram questão de mantê-la sobre cuidados médicos vinte e quatro horas por dia. Assim nada de ruim poderia acontecer a mulher ou ao seu precioso filho. Afinal, ele seria o herdeiro de todo o império construído pela família, o garoto seria o próximo na escala de sucessão da companhia. Em uma noite estrelada de julho, finalmente Margot deu a luz um menino. E mesmo com toda a cautela, e mesmo com todo o conforto proporcionado pelo marido houveram complicações durante o parto. Contudo, após um breve período de aflição, os especialistas conseguiram lidar bem com as dificuldades trazendo a vida o pequeno Tony. Naquele momento todo carinho e cuidado estavam direcionados ao pequenino de íris incomuns. Iniciava-se então sua trajetória de chamar a atenção, mesmo sem querer.

Desde pequeno a família o mimava, com presentes e festas grandiosas. Sua beleza era incomum, e seus olhos chamavam atenção pela heterocromia existente. Ao contrário dos outros meninos, adorava brincar de bonecas durante o tempo livre. Mas não era devido a esse fato que o mesmo se destacava entre as crianças da sua idade. Ele possuía um dom especial, algo que nem seus progenitores conseguiam explicar corretamente. Anthony causava certo medo nos colegas, com seu poder de persuasão e sua capacidade de fazer alguns objetos sumirem. Peter, extremamente alarmado, decidiu pesquisar por conta própria sobre as possibilidades que circundavam o seu herdeiro legitimo. Após alguns anos de pesquisa, a ficha caiu. Quando descobriu que seu pequenino Tony era um bruxo, sentiu-se deverás impotente. Não havia mais o que fazer como pai, a única opção plausível seria envia-lo para uma escola onde os professores saberiam lidar com as especialidades do filho. E foi o que fez, ao sentir que a hora havia chegado... Peter e Margot teriam de deixar o herdeiro seguir caminhos diferentes do que haviam planejado em seu nascimento.

Assim que o garoto completou onze anos, foi enviado a Salém. De fato Peter sabia da existência de outras escolas mais próximas, porém considerou que a mudança de continente faria bem a todos. Fora demasiadamente difícil abrir mão de seu companheiro diário, contudo sentia que era o certo a fazer pelo filho. Anthony precisava dominar os seus dons, para que pudesse controla-los em qualquer situação. No começo a caminhada foi difícil, visto que sua família era de trouxas e ele não conhecia ninguém ali, mas com o tempo o louro soube reverter à situação e sair por cima. Inteligente, persuasivo, vaidoso e perfeccionista Tony conseguia se destacar até mesmo nas áreas as quais não dominava plenamente. Sofria certa pressão por ser diferente dos indivíduos do sexo masculino, então aos quatorze anos jogou tudo para o alto e assumiu a homossexualidade. A partir de então sua vida deu uma guinada, pois deixou de importar-se com a opinião alheia e pode demonstrar-se de corpo e alma. Suas particularidades o definiam, e isso lhe dava orgulho. Tanto orgulho, após um tempo, passou a se tornar em vaidade. E vaidade demais acaba transformando a pessoa em alguém pomposo incorrigível.

Anthony, já cansado do clima burguês dos EUA, tomou a decisão de mudar de ares. Não havia argumentos que retirassem aquela ideia da sua cabeça. Transferir-se-ia para Hogwarts, Peter quisesse ou não. Com o apoio de sua mãe conseguiu em conclusão matricular-se para o sexto ano letivo na instituição almejada. Encontrava-se extasiado por conseguir o que queria, mais uma vez. Não mediria esforços para acompanhar os colegas, e demonstrar todas as suas qualidades. De maneira maravilhosa com o tempo aprendeu o significado de apego, pois pela primeira vez se via protegendo os seus amigos próximos. Festas e mais festas, agora não comemorava sozinho. Se possível, o garoto transformaria todos os amigos em ícones da moda, visto que sempre tinha alguma opinião sincera para dar. Afinal, não gostaria de ser visto com pessoas mal vestidas ou desleixadas. Tinha uma reputação a zelar como criador e estilista nas horas vagas. Competitivo como só, fez algo surpreendente: entrou para o time de quadribol da lufa-lufa. Todos sabiam que Anthony de fato odiava o esporte, mas gostaria de ver sua casa vitoriosa, principalmente agora estando em seu último ano como discente de Hogwarts. Com toda certeza ele sentiria falta dos garotos bonitos, das festas e das vitórias.

Curiosidades
 > Amante de moda, adora manifestar tendências;
>Possui heterocromia, sendo um olho azul e outro, mel;
>É homossexual assumido;
> Filho de nascidos trouxas;
> Ama festas, principalmente casamentos glamorosos;
>Transferido de Salém no sexto ano, ainda se sente um tanto quanto deslocado ;
> Anthony tende a ser um pouco metido e orgulhoso, achando-se mais do que algumas pessoas com quem convive;
> Sincero em demasia , acaba por criar, às vezes, inimizades;
> Deverás inteligente, contudo não estuda muito;
>Tem transtorno obsessivo compulsivo com perfeccionismo;
> Intolerante à lactose;
> Possui alergia respiratória, portanto seus pertences estão sendo limpos e organizados;
> Extremamente impulsivo. O que lhe causa certos problemas;
> Criativo, adora testar sua arte. Tem afinidade principalmente com desenhos, esculturas e vestimentas;
> Pró-ativo;
> Entrou no time de Quadribol da Lufa-lufa para se enturmar com os colegas e ajudar sua casa, mesmo não sendo fã assíduo do esporte;
> Competitivo, tende a dar o seu máximo. No entanto não acredita que os fins justificam os meios, jogando sempre limpo e sendo leal;
> Comunicativo, dá uma opinião mesmo não sendo chamado.
> Persuasivo, detém um poder de convencimento enorme;
> Quando tratado com indiferença, ou até mesmo quando está indignado com a situação, utiliza o dom da ironia;
> Raramente possui medo, demonstrando ser confiante;
> Não é o queridinho de Hogwarts, mas é simpático e apegado aos amigos. Defende-os com unhas e dentes se necessário;
> Vaidoso, apega-se aos detalhes facilmente.  Admira a si, e também outrém;
> Gel de cabelo, secador, e base compacta são objetos inseparáveis;
> Apesar de ser muito higiênico, ostenta alguns vícios: margaritas, cigarro e filmes para maiores;
> Esconde uma tatuagem bem exótica. Apenas os mais íntimos sabem da localização e desenho da mesma;
> Autêntico, se entrega de corpo e alma.

Narração de Cargo
 Todo mundo precisa do sono de beleza, mesmo alguém tão perfeito quanto eu. Levantei e me espreguicei, olhando para toda aquela fonte de beleza dentro do dormitório masculino. Não cansava de ficar olhando cada uma das carinhas de sono daqueles garotos enquanto eu me levantava e terminava de despertar. Alguns ficavam bem fofos com a boca entreaberta, outros ficavam muito nojentos. Fui até uma pequena penteadeira que eu havia montado ali para mim e sentei no banquinho, logo depois de lavar o rosto pra tirar aquele negócio que me causava nojo que ficava na minha linda cara. Comecei a pentear meu cabelo até ele ficar na forma que eu adorava e usava com mais frequência, e depois joguei um pouco de laquê para ele ficar no lugar. Peguei um pouco de corretivo, só pra esconder as olheiras que insistiam em ficar nos meus olhos, mesmo que eu dormisse para sempre ou não dormisse nada. Sorri ao ver que alguns olhares passavam em mim enquano eu me arrumava para descer ao salão, então eu distribuía piscadelas para todos os gatinhos e ignorava aqueles mais feios. Sejamos realistas, não é? Eu mereço alguém bonito, pelo amor de Merlin. Agora havia chegado à parte que eu mais detestava, que era vestir aquele uniforme nojento. Peguei a camiseta um pouco mais apertada que realçava meus músculos, coloquei a gravata e joguei aquela capa estranha por cima. Perfeito? Nem um pouco com aquela roupa sem algum conceito, mas eu conseguia ficar muito bonito até mesmo com ela. Subia as escadas até o salão, vendo alguns olhares em mim. Sim, eu adorava chamar atenção dos outros, mas principalmente dos garotos, e bonitos. A maioria olhava para os meus olhos de cores diferentes, um azul e outro mel, e aquilo era ótimo, adorava ser o centro das atenções. Virei meus pés para entrar na mesa da Lufa-lufa enquanto mandava beijos para outras mesas, só pra poder ter várias opções. Aquela comemoração só servia mesmo pra mostrar aquele uniforme horrorosamente largo e desnecessário, já que era óbvio que aquele ano a Lufa havia ganhado a Copa das Casas. Era muito blá blá blá que eu me perdia trocando olhares com outro garoto na mesa da própria Lufa-lufa. Sim, já havia ficado com ele, mas ele conseguia ser sem graça demais, então eu só dava esperanças pra ele, mordendo o lábio e provocando, essas coisas. Nem notei quando a mesa inteira começou a gritar e pular, então olhei pra decoração. Então a Lufa era detentora do troféu da Copa daquele ano? Sorri quando levantei e puxei o braço do garoto que eu brincava com o olhar antes. Tá, tá, ele era chato, mas beija muito bem. Ia me agarrar com ele em algum canto enquanto o resto estava distraído comemorando a vitória da Lufa-lufa e o resto se lamentando por serem estúpidos e fracos por não terem ganhado.
@ RPG HOGWARTS MW 2010-2015
Anthony D. Shreave
avatar
Cargo : Estudante


Varinha : Videira, Pelo de Acromântula, 30 cm, Flexível


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ANTHONY D. SHREAVE - SÉTIMO ANO

Mensagem por The Flying Dutchman em Seg 31 Ago 2015, 16:29

Ficha aceita!
The Flying Dutchman
avatar
Administradores

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum