Parceiros e Afiliados
RPGs Parceiros
Afiliados em Geral

[Ministerial] Martielo Beaumont

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[Ministerial] Martielo Beaumont

Mensagem por Martielo Beaumont em Ter 08 Set 2015, 16:26

Martielo Beaumont
Ministerial
Chris Hemsworth
Nenhuma
Humano
Instituto Durmstrang
Haus Luft

História do Personagem
  > Martielo, italiano, trinta e três invernos de existência. Quando era jovem ainda sentia a magia fluir em seu sangue, conseguindo fazer pequenos milagres, ajudando todos em sua volta. Não cansava disso, até finalmente chegar aos seus onze anos de idade. Todos esperavam que ele recebesse uma carta da Academia Beauxbatons, mas o que aconteceu foi o oposto. Uma carta rústica com letras finas e firmes chegou até a casa do garoto. Ele era convidado para ir ao Instituto Durmstrang, e sem outra saída possível, seguiu seu destino, virando mais um aluno daquela escola... diferenciada. Tinha medo, sim, mas também era curioso para conhecer tantos segredos que o lugar escondia. E foi excelente nos primeiros anos. Na verdade, perfeito.
Sim, mulheres estudavam no lugar, mas geralmente eram pouquíssimas, e felizmente Martielo conheceu uma que conquistou seu coração, e foi conquistada. Já no quarto ano mantinham um relacionamento mais sério, porém nunca passaram do limite. O garoto mantinha sua cabeça no lugar e era calmo, sempre receoso sobre o que faria quando chegasse... a hora. A garota era sempre bem atirada, tentando incansavelmente que ele fizesse algo que não se sentia preparado, e conseguia refutá-la sempre. Andavam juntos pelo colégio e ouviam piadas sobre seu relacionamento, mas ele sempre ignorava tudo e todos pelos dois anos que se passaram. Martielo começava a ficar nervoso com o ritmo que seu relacionamento tomava, como se a garota não quisesse mais ele pelo simples motivo dele não querer fazer sexo. Ele sempre matinha a cabeça baixa próximo dela, até que finalmente, em janeiro de 1997 perdeu sua virgindade.
Sentiu-se mais desconfortável com a situação do que esperava. Poucas semanas descobriu que a mulher ficara grávida, então sem alternativa, no dia que completou 17 anos pediu-a em casamento. Sempre se sentia desconfortável quando se relacionava com a mulher, e então, exatamente um ano após o casamento, pediu o divórcio, levando consigo seu filho recém-nascido. Sem muita escolha foi ao Reino Unido, onde aos poucos tentaria reconstruir a própria vida. O garoto desde pequeno, nomeado Christopher, era muito... sapeca. Talvez pela ausência de uma mãe na sua vida sempre tentava se encontrar com outras garotas. Assim que o menino completou quatorze anos, Martielo descobriu que ele havia perdido a virgindade. Ficou chateado, mas não poderia fazer nada, Christopher seria daquele jeito até que a vida o derrubasse.
Tentava de alguma forma manter a própria vida em pé, trabalhando ou qualquer outra coisa. Infelizmente o garoto foi estudar em Durmstrang, ficando lá até o sexto ano, até finalmente Martielo conseguir a transferência dele para Hogwarts. Agora, com o garoto estudando na escola do Reino Unido, seria mais fácil manter a vida na linha que esperava. Ou ao menos tentaria, enquanto sentia uma pequena tristeza invadi-lo a cada dia, praticamente sozinho no mundo.

Características Psicológicas
  > Martielo não era muito exato de suas decisões enquanto ainda estava em Durmstrang, e isso acabou em seu casamento precipitado e um filho. Assim que terminou os estudos começou a focar mais a mente no que realmente importava: trabalhar para sustentar Christopher. Começou a amadurecer em um nível que pode considerar-se absurdamente rápido, sendo que um ano após terminar a escola, em seus dezoito anos, já construía uma carreira promissora. Infelizmente um único e exclusivo motivo acabou por fazer ele se afastar do trabalho que parecia perfeito para si: a mãe de Christopher. Sendo assim acabou por mudar-se para o Reino Unido um pouco abalado, mas ainda assim tinha que manter-se vivo, assim como seu filho. Mesmo com o garoto no sétimo ano, ele agia como se a escola fosse um parque de diversos, e bastava a Martielo manter a cabeça mais direta e focada que antes para ensinar uma moral ao próprio filho. Feliz ou infelizmente, Martielo não é um homem que fica com ódio com facilidade, sempre se mantendo calmo e focado em seu objetivo. Sendo assim procurou um dos poucos lugares que achava que conseguiria ser útil de verdade. Além de tudo era sozinho no mundo com Christopher, apenas os dois sozinhos. Desde que se divorciou, nunca mais encontrou outra mulher que interessasse-o ou chamasse sua atenção para que construísse um novo relacionamento.

Narração de Cargo
  > O caminho sinuoso fazia com que eu tivesse que prestar atenção por um longo tempo antes de conseguir procurar algo, e precisava de qualquer jeito terminar aquela investigação para o Departamento de Mistérios. -Me oriente! - A varinha começava a girar na palma da mão, e esperava que a ponta apontasse para o norte. Sem sucesso. Os olhos atentos buscavam no escuro algum resquício de iluminação para evitar a necessidade de acender a ponta da varinha. Mantinha ouvidos atentos e aguçados para tentar detectar a presença do inimigo, mas ele era esperto o suficiente para conseguir andar no local em completo silêncio. Fechei os olhos e apertei a varinha, concentrando-me para pensar em algo que poderia me ajudar, mas parecia que teria que insistir em uma ideia não muito boa. -Homenum Revelio! - Por algum motivo o feitiço apenas acendeu a ponta da varinha, mas não apareceu onde a pessoa estava. Existia um contra-feitiço que fazia isso com que o feitiço se comportasse de tal forma ou era apenas o lugar, em especial?
O fim do túnel. A escuridão era plena, o céu estava completamente limpo, sem estrelas e sem a lua. A varinha foi apontada para os céus, bem ao centro. -Lumus Maxima! - Uma esfera luminosa do tamanho de uma bola de beisebol saiu da ponta da varinha, indo rapidamente até os céus e explodindo lá, iluminando toda a área. Percebi a sombra das árvores e uma silhueta. A luz mantinha-se firme enquanto meus passos iam lentamente pela floresta, sentindo uma leve brisa brincando entre as folhas e bagunçando meu cabelo. Aquilo atrapalhava minha audição, então começava a procurar rastros pelo chão. O vento fazia com que as folhas e galhos menores voassem pelo chão, empurrando tudo e tornando difícil a detecção de quaisquer pistas.
-Ventus! - Disse, apontando para um amontoado de folhas, vendo elas serem arremessadas para a frente, deixando o chão de terra livre, com uma grande pegada com o pé virado para o noroeste. Suspirei ao apontar a varinha para a área, conjurando calmamente. -Lumus Solem! - Um feixe forte de luz como um canhão foi na direção da área, com um diâmetro maior que o normal. Um barulho de corpo caindo foi ouvido, e isso fez com que eu corresse até a área. Lá estava a mulher, correndo desesperada em direção ao nada, com a mão nos olhos. -Bamboé! - As pernas da mulher começaram a tremer, fazendo com que ela andasse ao invés de correr. Ela virava e gritava, apontando a varinha para mim, lançando feitiços. Conseguia esquivar deles devido a cegueira, então continuei as investidas. -Offendo! - O corpo da mulher caiu no chão, por ter tropeçado.
Os pés estavam ao lado da cabeça da mulher. Olhava para seus olhos com um sorriso vitorioso, apontando a varinha para ela. -Silencio! Confundus! - Isso evitaria que ela usasse qualquer feitiço. -Você está presa pelo assassinato de uma mulher em Londres. Petrificus Totalus! - O corpo da mulher ficou rígido, então abaixei ao seu lado. Tomei a varinha de sua mão e guardei em um dos bolsos do casaco, colocando a mão sobre as costas da mulher. Ela faria uma longa visita à Azkaban.
@ RPG HOGWARTS MW 2010-2015
Martielo Beaumont
avatar
Cargo : Enfermeiro


Varinha : Acácia, Pena de Fênix, 36 cm, Inflexível


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum