Parceiros e Afiliados
RPGs Parceiros
Afiliados em Geral

1. História e Contextualização

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

1. História e Contextualização

Mensagem por The Flying Dutchman em Ter 27 Jun 2017, 23:46


Livre Escola de Pirataria e Voodoo de Lanmkof


1.1 - Origem

Durante o Século XVIII, muitos navios espanhóis eram constantemente saqueados por corsários ingleses em águas caribenhas. Estes corsários trabalhavam como mercenários em serviços perigosos e que atraíam homens diversos, independentemente de sua origem mágica ou não, mas preferencialmente vindos de uma baixa formação acadêmica. Dentre estes inúmeros piratas de baixo nascimento havia, em especial, um capitão mestiço de educação inglesa e alma Voodoo. Seu nome era David Hazel Jones, filho de um bruxo explorador inglês e uma taberneira haitiana. Um fruto bastardo de uma relação quase puramente carnal. Contudo, nadando contra as probabilidades ruins reservadas à um filho bastardo, ele acabou recebendo o carinho e a atenção inesperada do pai, que o levou para a Grã-Bretanha e fez questão de que recebesse a melhor educação mágica possível, diretamente em Hogwarts.

Graças ao seu temperamento forte, presente sanguíneo latino de sua mãe, o rapaz criou mais desavenças do que poderia suportar e terminou abandonando a Escola de Magia britânica, decidido a voltar para o único lugar que reconhecia como lar, o Caribe. E ele voltou para suas terras não apenas como um pirata qualquer, mas como o mais temido de todos, não se intimidando de usar todo o conhecimento mágico possível em suas pilhagens. David H. Jones, ou Davy Jones, como contam os mitos trouxas, se especializou, estudou e experimentou todas as magias que descobriu, miscigenando a bruxaria europeia ao voodoo caribenho e criando seu próprio estilo de Arte das Trevas, se tornando assim uma lenda pelos sete mares.

No auge de sua carreira, o pirata possuía o conhecimento e o domínio da vida e da morte, o que lhe permitia controlar toda uma tripulação composta de zumbis – seres sem vontade própria e nascidos de magia das trevas, conhecidos popularmente como inferis na Europa. O seu nome se espalhou por todos os portos da região e ele passou a representar o próprio Diabo para a população local. Como era de se esperar, Jones terminou seus dias de pirataria no mar, após se perder em uma forte neblina logo após uma gorda pilhagem, deixando para o oceano toda uma suposta fortuna e rica história. Ao menos é isso que os trouxas sabem, pois sua história não acaba aí. É apenas assim que começam seus segredos.

O Navio de David Jones, a maior embarcação já vista em mares caribenhos, não afundou como muitos pensam. Ele acabou amplamente avariado e encalhado em uma das ilhas centrais de um arquipélago mágico e itinerante. O Bruxo das Trevas, agora preso neste belo local, atormentado pela solidão e o peso na alma de tantas vidas ceifadas, viveu em reclusão tempo suficiente para buscar algo novo além de morte e destruição. Passou os últimos dias de sua vida escrevendo e transcrevendo antigos pergaminhos, deixando por escrito todo o legado e conhecimento mágico que obteve em sua longa vida. E quando o seu fim finalmente chegou, sua alma se repartiu. Uma parte tomou seu rumo pelos mares infernais, mas a outra se agarrou ao solo pungente de magia pela eternidade e dali passou a fazer parte.

Uma nova lenda então se espalhou, de que o navio fantasma de Jones ainda vaga pela noite, envolto por um miasma infernal e pronto para arrastar almas de viajantes para o fundo do mar, direto para o Baú de David Jones. Contudo, para aqueles perspicazes e curiosos, o Baú se tornou um sonho a ser alcançado e felizes foram aqueles que buscaram encontrá-lo, pois dizem as línguas afiadas do Caribe que em algum lugar deste imenso mar banhado em sangue, existe um arquipélago inteiro recheado de tesouros e segredos, além de um navio velho e encalhado onde pergaminhos de vida e morte podem ser estudados e onde um fantasma conhecido está sempre disposto a ensinar, aos que tiverem sangue frio e ouvidos para aprender.


1.2 - Lanmkof como Escola

Podemos dizer que Lanmkof possui uma política de ensino bem distante de suas irmãs europeias e até mesmo das escolas americanas. Lanmkof não é um local para o qual você é matriculado, você descobre de boca-em-boca e deve estar no local certo e na hora exata para ir até lá.  Nenhum estabelecimento ou organização de qualquer parte do mundo vai sequer aceitar um diploma da Escola e as chances são de que você acabe na verdade preso se tentar demonstrar ter sido aluno de lá. Por isso, antes de cogitar estudar nesta instituição, é importante entender perfeitamente aonde está se metendo.

Quando David Jones começou a transformar o seu local de exílio em um Polo de Conhecimento Bruxo, ele jamais teve em mente transformar o seu antigo navio num lar para pirralhos, pré-adolescentes ou sequer cobrar por ensino (o que é sempre tentador para um pirata). É bem verdade que ele nem sequer pensou em transmitir diretamente seus conhecimentos ou que um dia precisaria contratar professores para auxiliar neste tipo de serviço. Suas aspirações eram de que os destroços do Holandês Voador fossem, um dia, uma espécie de biblioteca mítica, mais próxima do que foi Alexandria e quiçá tão misteriosa e inacessível quanto a própria Atlantis, mas parece que seus planos foram bem frustrados.

Passados algumas muitas décadas, finalmente ciente de que provavelmente nunca encontrariam o arquipélago que o derrotou, o Capitão Jones pereceu. Sua alma já fragmentada pelos anos sanguinários e dedicados à morte na pirataria não suportou o peso do fim e se partiu. Felizmente o pior daquele homem se perdeu nas profundezas do Oceano, deixando apenas a figura de personalidade mais sisuda, porém benevolente para trás, uma alma leve, que se uniu ao próprio espírito mágico daquele local, e se tornou a peça chave de racionalidade que faltava para o Arquipélago ser, de fato, vivo. E este novo Ser, é o que hoje podemos chamar de Lanmkof.

Vencida então a selvageria primitiva daquele local, Lanmkof deixou de ser apenas um túmulo para Lobos do Mar aposentados e de fato assumiu sua característica de Escola. A magia do arquipélago passou a atrair os seres mágicos de toda a região do Caribe e dos Continentes, independentemente de sangue ou raça, mas que possuíam dentro de si uma forte sede por conhecimento, além de um espírito livre e incontrolável. O fantasma do Capitão David Jones e sua tripulação cadavérica passaram a receber os novos visitantes dispostos a ensinar e servir, mas também preparados para cobrar, pressionar e levar ao limite seus alunos, em busca de um desempenho que só um grande Capitão como ele poderia exigir.

Era então fundada extraoficialmente a Livre Escola de Pirataria e Voodoo de Lanmkof, aberta a todas as raças, sexos, credos e origens desde que seus alunos fossem suficientemente humildes para aceitarem que nada conheciam do mundo e destemidos o bastante para lutar com unhas e dentes pelo que vieram buscar, seja fama, fortuna ou conhecimento.


The Flying Dutchman
avatar
Administradores

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum